Crami promove simpósio sobre exclusão social

Para marcar os 33 anos do Crami Campinas, no dia 29/06, será promovido o Simpósio “Exclusão social: o perverso desvio entre as leis e a práxis”. Realizado com o apoio da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), a proposta é refletir sobre o contexto histórico e atual da exclusão social no país e sua correlação com políticas, movimentos sociais e legislações. Pretende também debater sobre novas práticas e dispositivos neste campo.

Para falar sobre o tema, foram convidados o psicanalista Jorge Broide e os cientistas sociais Silvio Gallo e Stela da Silva Ferreira. Para participar, é preciso se inscrever no site www.cramicampinas.org.br/evento/simposio2018 e efetuar uma contribuição de R$ 35,00 até 17/06. Após essa data, o valor sobe para R$ 40,00. As vagas são limitadas. O público-alvo é a rede socioassistencial, comunidade acadêmica e interessados no tema da violência doméstica.
O evento será no auditório da SMCC, das 8h às 12h. Confira a programação.

Programação

8h – 8h30 > Credenciamento

8h30 – 8h50 > Abertura Institucional

8h50 – 9h30 > “As múltiplas faces da exclusão social da infância” 

Palestrante: Silvio Gallo

Professor Titular na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), editor-chefe da Revista Pro-Posições (FE-Unicamp) e co-editor da Revista Fermentario, publicação conjunta da Universidad de la República de Uruguay e da Unicamp. É livre docente em Filosofia da Educação, possui doutorado em Educação – Filosofia da Educação e é autor e organizador de diversos livros.

9h30 – 10h10 > “Atualização do combate às injustiças sociais no cotidiano dos serviços da Assistência Social”

Palestrante: Stela Ferreira

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, mestre e doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Acompanha a implementação do SUAS nos municípios por meio do desenvolvimento de processos de educação permanente para equipes dos serviços, da gestão e agentes do controle social. É consultora do PNUD e da UNESCO para o fortalecimento da gestão do trabalho; desenvolveu o Mapa de Competências das Equipes do PAIF e PAEFI e Cartilhas para o fortalecimento do controle social. Docente em cursos de pós-graduação (Especialização) com foco em políticas sociais.

10h10 – 10h30 > Coffee Break

10h30 – 11h10 > “O trabalho clínico nas situações sociais críticas”

Palestrante: Jorge Broide

Psicanalista, analista institucional, professor do curso de psicologia da PUC/SP, doutor em psicologia social pela PUC/SP.

11h10 -12h > Debate

Serviço

Simpósio “Exclusão social: o perverso desvio entre as leis e a práxis”

Local: Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas – R. Delfino Cintra, nº63, Botafogo.

Horário: das 8h às 12h

Como participar: é preciso se inscrever no site www.cramicampinas.org.br/evento/simposio2018

Contribuição: R$ 35,00 até 17/06. Após R$ 40,00

Mais informações: 19 3327-0612

 

Diretor fundador do CRAMI Amilcar Amarelo é homenageado

Anualmente, o CRAMI Campinas faz uma homenagem a um diretor como forma de reconhecimento pelo trabalho voluntário realizado na instituição. Dessa vez, Amilcar Amarelo foi o escolhido. Pertencente ao quadro diretor desde a fundação da instituição, ele sempre esteve presente e atuante. O jantar para a entrega da placa de homenagem ocorreu na noite do dia 17 de maio com a presença de diretores e conselheiros do CRAMI.

Além da placa, Amílcar foi presenteado com um poema e um arranjo de rosas e lírios.

AMILCAR AMARELO

Me fiz no coração, de curioso, uma pergunta

O que levou o Amilcar a fundar o CRAMI?

E é por hipóteses que a gente, então, assunta

Com qual resposta ninguém jamais se engane!

 

Por dinheiro não foi, tenho disso grande certeza…

Para reconhecimento… definitivamente não foi não…

Mas foi pela sua alma repleta de grande beleza

Que no CRAMI ele botou a sua laboriosa mão!

 

Queria perguntar, mas achei um pouco chato:

Que queres ganhar neste ato, neste momento?

Diga-nos, diga-nos mesmo, diga numa “boa”!

 

E, novamente por hipóteses, faço este relato,

Apesar de meritório este nosso singelo evento,

Tua resposta o Edison achou em Fernando Pessoa!

 

 

Dá-me lírios, lírios,

E rosas também

Mas se não tens lírios

Nem rosas a dar-me

Tem vontade, ao menos,

De me dar os lírios

E também as rosas

Basta-me a vontade-

Que tens, se a tiveres.

De me dar os lírios

e as rosas também

E terei os lírios

Os melhores lírios

E as melhores rosas

Sem receber nada

A não ser a prenda

Da tua vontade

De me dares lírios

E rosas também.

 

CRAMI participa de ações de mobilização do 18 de maio

Um dia dedicado à conscientização e à mobilização da população de Campinas sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Assim foi sexta-feira, 18 de maio. As ruas das cinco regiões de Campinas, Norte, Sul, Leste, Sudoeste, Noroeste, foram tomadas pelos cortejos e atividades para alertar para a data e para a importância de fortalecer leis e campanhas que protejam a infância. O CRAMI esteve presente em todas as ações.

No domingo, 20 de maio, o trabalho de conscientização se estendeu para a Lagoa do Taquaral. O objetivo era abordar as pessoas com a distribuição de folhetos sobre o 18 de maio para que pudessem provocar e sensibilizar os participantes para o dia de combate ao abuso sexual e à exploração sexual contra crianças e adolescentes. As ações foram uma iniciativa da Comissão de VDCCA (Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes), pertencente ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) que teve o apoio das Organizações da Sociedade Civil e dos serviços públicos.

CRAMI abre inscrições dia 28/05 para simpósio sobre Exclusão Social

As inscrições para a quarta edição do simpósio em comemoração aos 33 anos do Crami Campinas iniciam-se no dia 28/05. O evento será no dia 29/06 com o título “Exclusão social: o perverso desvio entre as leis e a práxis”. Silvio Gallo, Stela Ferreira e Jorge Broide são os palestrantes convidados.

Realizado com o apoio da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC) e da Unimed Campinas, o evento acontece das 8h às 12h, e tem o objetivo de refletir sobre o contexto histórico e atual da exclusão social no país e sua correlação com políticas, movimentos sociais e legislações. Pretende também debater sobre novas práticas e dispositivos neste campo.  Para participar é preciso adquirir o ingresso no valor de R$ 35,00 até 17/06. Após, o valor sobre para R$ 40,00.

O simpósio será no auditório da SMCC, que fica na Delfino Cintra, 63, Botafogo. As vagas são limitadas. Para fazer a inscrição, acesse aqui a página do evento. O pagamento pode ser feito por boleto ou cartão de crédito. Confira abaixo a programação completa.

 

Simpósio “Exclusão social: o perverso desvio entre as leis e a práxis

  • Dia 29/06, das 8h às 12h
  • Local: Auditório SMCC, Rua Delfino Cintra 63, Botafogo.
  • Valor: R$ 35.00 até 17/06. Após, R$ 40,00.
  • Informações: 19 3327-0612.

Programação

8h – 8h30 > Credenciamento

8h30 – 8h50 > Abertura Institucional

8h50 – 9h30 > “As múltiplas faces da exclusão social da infância”  

Palestrante: Silvio Gallo

Professor Titular na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), editor-chefe da Revista Pro-Posições (FE-Unicamp) e co-editor da Revista Fermentario, publicação conjunta da Universidad de la República de Uruguay e da Unicamp. É livre docente em Filosofia da Educação, possui doutorado em Educação – Filosofia da Educação e é autor e organizador de diversos livros.

9h30 – 10h10 > “Atualização do combate às injustiças sociais no cotidiano dos serviços da Assistência Social”

Palestrante: Stela Ferreira

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1998), mestre (2010) e doutora em Serviço Social (2015) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Acompanha a implementação do SUAS nos municípios por meio do desenvolvimento de processos de educação permanente para equipes dos serviços, da gestão e agentes do controle social.  Atua também como consultora do PNUD e da UNESCO para o fortalecimento da gestão do trabalho, tendo desenvolvido o Mapa de Competências da Equipes do PAIF e PAEFI (2015), a NOB-RH Anotada e Comentada (2011) e Cartilhas para o fortalecimento do controle social (2006).  Trabalha em coletivos profissionais voltados aos processos à elaboração e realização de percursos formativos e sistematização de experiências. Docente em cursos de pós graduação (Especialização) com foco em políticas sociais.

10h10 – 10h30 > Coffee Break

10h30 – 11h10 > “O trabalho clínico nas situações sociais críticas”

Palestrante: Jorge Broide

Psicanalista, analista institucional, professor do curso de psicologia da PUC/SP, doutor em psicologia social pela PUC/SP.

11h10 -12h > Debate

Adolescentes participam de fita tela sobre o 18 de maio

Mais de 200 adolescentes de diversas instituições de Campinas participaram do Fita Tela com a exibição do filme “Um olhar do paraíso”, no Salão Vermelho da Prefeitura. O evento faz parte da programação do 18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes promovida pelo CMDCA. Foram duas sessões: uma na parte da manhã e outra na parte da tarde.

O filme conta a história de Susie Salmon que é assassinada por seu vizinho, George Harvey, um assassino em série de garotas e mulheres. Um ano após a morte de Susie, sua irmã e seu pai começam a desconfiar do vizinho e a procurar provas para incriminá-lo. Após a exibição do filme, os próprios participantes fizeram uma roda de conversa com o apoio dos educadores sociais.

“O fita tela (filme e debate) utiliza de uma metodologia de grande relevância, pois é uma iniciativa entre pares: de adolescentes para adolescentes e mediação de educadores(a) sociais e outros trabalhadores sociais. O objetivo do evento foi refletir sobre o abuso e a exploração sexual, sobre a importância do cuidado, da proteção, de fazer a denúncia e divulgar os canais para isso”, explica o educador social, Paulo Silva.