Posts

CRAMI promove lives sobre o 18 de maio

O tema do abuso e da exploração sexual é bastante difícil de ser tratado, mas essencial de ser divulgado. Afinal, quanto mais gente souber que a violência sexual contra crianças e adolescentes não é normal ou natural e as consequências que isso traz para as vítimas, mais conseguiremos diminuir os números que são bastante significativos em nosso País. Por isso, para marcar o 18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, na segunda-feira, em parceria com o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes), aconteceu uma Live Cultural Temática com a participação de jovens atendidos pelo CRAMI. A live abriu a série de eventos online pelo CMDCA que aconteceram durante a semana.

Rick Moura, atendido pelo CRAMI, foi o apresentador que contou com a participação da Carol MC, Cecília e Erike WD. O evento aconteceu no espaço do CEI, com todos os equipamentos de proteção à saúde.

Confira aqui a live no link

Quiz sobre o 18 de maio

Na terça-feira, dia 19 de maio, aconteceu mais uma live no perfil dos Educadores do CRAMI para as famílias, tanto as que são atendidas quanto as que já foram atendidas. Houve uma ampliação na forma de interação ao promover o sorteio de uma camiseta do 18 maio para quem enviasse uma foto sobre a temática do abuso e da exploração sexual contra crianças e adolescentes. Para conscientizar os participantes, o formato de quiz foi utilizado para explorar o assunto e também a importância do Estatuto da Criança e do Adolescente. Outro tema abordado foi sobre as fake news. O objetivo foi orientar sobre notícias falsas veiculadas nas redes sociais e um alerta para que fiquem atentos e não disseminem a desinformação. Um dos pontos positivos dos eventos online é a participação de pessoas que já foram atendidas pelo CRAMI, como aconteceu neste último encontro quando uma adolescente que já foi atendimento participou e hoje mora no Tocantins.

Prosas

No dia 20 de maio, oito mulheres participaram do encontro virtual do Prosas por meio do Whatsapp. A equipe usou dois vídeos geradores para iniciar o bate-papo: um feito pelo CRAMI a respeito da campanha do 18 de maio (acesse aqui) e outro sobre abuso infantil. “Percebemos que as mulheres não conheciam a campanha, mas participaram de forma ativa sobre o assunto, escutaram dos cuidados que é preciso ter e compreenderam a importância do tema”, finalizou o educador Paulo Silva.

Saiba como combater o abuso e a exploração sexual contra crianças e adolescentes

No Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, 18 de Maio, o CRAMI fez um compilado de materiais que tratam do assunto para que você possa entender e compartilhar informações sobre o tema com familiares, filhos, sobrinhos ou amigos. Afinal, a informação e a denúncia são os meios mais eficazes para não roubar a infância de milhares de crianças. O Brasil ocupa a segunda posição no ranking de países com maior número de ocorrências de Exploração Sexual Infantil, segundo a The Freedom Fund e neste ano de isolamento social, essa questão se torna ainda mais preocupante, pois as notificações chegam principalmente das escolas. Por isso, nesse momento contamos com sua ajuda no combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Confira agora dicas de onde buscar informações sobre o tema.

SÉRIES INFORMATIVAS

A Childhood Brasil – que entrou com o apoio técnico ao conteúdo – a Fundação Vale e a Unicef Brasil, em parceria com o Canal Futura, criou duas séries para abordar o tema: violência sexual praticada contra crianças e adolescentes.

Que exploração é essa? (2009)

Que abuso é esse? (2014)

As narrativas fazem uso da linguagem lúdica para tratar de uma das mais graves violações de direitos humanos de crianças e adolescentes, previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Lei nº 8.069, de 1990, e aprofundar os debates sobre o tema.

 

LIVROS

Para crianças:

Sem mais Segredo: Juju, uma menina muito corajosa: O livro infantil conta a história de uma menina chamada Juju, que é muito alegre e repentinamente passa a ficar triste e retraída por guardar um segredo. O objetivo da história é ajudar os adultos no diálogo com crianças pequenas sobre a violência sexual, ensinando-as a reconhecer uma situação de violência, bem como a romper com esse segredo que lhe faz mal. É possível encontrar o livro na Livraria Cultura, na Livraria da Travessa e na Editora Multifoco.

Pipo e Fifi: O livro é sobre a história de dois monstrinhos, uma menina e um menino, que buscam passar conceitos básicos sobre o corpo e trocas afetivas para crianças a partir de 4 anos de idade, indicando o que é normal e o que não é nas relações sociais que estão sendo construídas nessa idade.

Assista ao vídeo ou adquira o livro no site.

Chutando Pedrinhas: A obra é uma conversa entre um pai e sua filha sobre os anseios da garota em relação à vida. Através dessa relação, ambos percebem os padrões sociais e as limitações que eles proporcionam às crianças. Assim, o livro fomenta um discurso baseado na equidade de gêneros e respeito à individualidade.

Download

Para adultos:

Vento no rosto: Apesar de ser um livro infantil, a obra é dedicada a adultos. A história conta as peripécias de Lucas, uma criança aventureira e a sua relação com os pais, que se torna conflituosa depois do filho desobedecer às suas ordens. O livro busca discutir a violência na educação das crianças e como isso pode refletir até mesmo na comunicação entre filhos e pais.

Download

Cartilha Navegar com segurança: Cartilha criada pela Childhood Brasil, em parceria com a ONG Safernet Brasil, referente à conexão de crianças na internet e às maneiras de como prevenir eventuais perigos que a rede proporciona, além de indicar qual é o papel dos pais e educadores nessas ações.

Download

Prevenção e atenção à violência intrafamiliar: apoio às lideranças comunitárias: O material é uma coletânea de informação e conhecimento gerado pelo Instituto Noos sobre violência intrafamiliar e maneiras de lidar com essas situações a partir de experiências com diversas famílias.

Download

Para educadores:

Manual M: Trabalhando com Mulheres Jovens e Manual H: Trabalhando com Homens Jovens: Os manuais são voltados a educadores e educadoras que queiram trabalhar questões relacionadas à sexualidade, saúde, gênero, violência e outros temas referentes à adolescência.

Download Manual H

Download Manual M

Maus-Tratos e proteção de crianças e adolescentes: uma visão ecossistêmica: para profissionais que trabalham com situa­ções de violência intrafamiliar e que desejam aprofundar os conhecimentos acerca do tema. O livro aborda de maneira científica a questão de maus-tratos a infantojuvenis e revela maneiras de lidar com a questão.

Download

Pelo direito à participação: Cartilha referente à atuação do programa 123Alô!, sobre a importância de dar espaço à voz de crianças e adolescentes como seres cidadãos em uma sociedade.

Download

Projeto Quebra Tabu: O projeto foca na educação sexual para crianças e adolescentes, e busca dar ferramentas para os educadores abordarem esse tema com os estudantes. Além de vídeoaulas disponibilizadas no site, há também uma cartilha que serve como apoio às aulas.

Download

Aulas online

Fonte: Childhood

Cortejos e rodas de conversa marcam a campanha de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual

Uma série de eventos mobilizou a população de Campinas, em diversas regiões, para conscientizar sobre o dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. O CRAMI participou das ações dos dias 16, 17 e 18, neste último, iniciativa promovida pela Feac (Federação das Entidades Assistenciais de Campinas).

As ruas das cinco regiões de Campinas, Norte, Sul, Leste, Sudoeste, Noroeste, foram tomadas pelos cortejos e atividades para alertar para a data e para a importância de fortalecer leis e campanhas que protejam a infância. As ações foram uma iniciativa da Comissão de VDCCA (Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes), pertencente ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), que teve o apoio das Organizações da Sociedade Civil e dos serviços públicos.

Se você sabe de casos de violência contra crianças e adolescentes, denuncie no Disque 100. A ligação é gratuita e anônima. Para saber mais sobre o assunto, acesse aqui a cartilha elaborada pela Comissão de Violência Doméstica contra a Criança e o Adolescente que teve a contribuição do CRAMI Campinas.

 

CRAMI participa de ações de mobilização do 18 de maio

Um dia dedicado à conscientização e à mobilização da população de Campinas sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Assim foi sexta-feira, 18 de maio. As ruas das cinco regiões de Campinas, Norte, Sul, Leste, Sudoeste, Noroeste, foram tomadas pelos cortejos e atividades para alertar para a data e para a importância de fortalecer leis e campanhas que protejam a infância. O CRAMI esteve presente em todas as ações.

No domingo, 20 de maio, o trabalho de conscientização se estendeu para a Lagoa do Taquaral. O objetivo era abordar as pessoas com a distribuição de folhetos sobre o 18 de maio para que pudessem provocar e sensibilizar os participantes para o dia de combate ao abuso sexual e à exploração sexual contra crianças e adolescentes. As ações foram uma iniciativa da Comissão de VDCCA (Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes), pertencente ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) que teve o apoio das Organizações da Sociedade Civil e dos serviços públicos.