Posts

Cortejos e rodas de conversa marcam a campanha de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual

Uma série de eventos mobilizou a população de Campinas, em diversas regiões, para conscientizar sobre o dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. O CRAMI participou das ações dos dias 16, 17 e 18, neste último, iniciativa promovida pela Feac (Federação das Entidades Assistenciais de Campinas).

As ruas das cinco regiões de Campinas, Norte, Sul, Leste, Sudoeste, Noroeste, foram tomadas pelos cortejos e atividades para alertar para a data e para a importância de fortalecer leis e campanhas que protejam a infância. As ações foram uma iniciativa da Comissão de VDCCA (Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes), pertencente ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), que teve o apoio das Organizações da Sociedade Civil e dos serviços públicos.

Se você sabe de casos de violência contra crianças e adolescentes, denuncie no Disque 100. A ligação é gratuita e anônima. Para saber mais sobre o assunto, acesse aqui a cartilha elaborada pela Comissão de Violência Doméstica contra a Criança e o Adolescente que teve a contribuição do CRAMI Campinas.

 

CRAMI participa de ações de mobilização do 18 de maio

Um dia dedicado à conscientização e à mobilização da população de Campinas sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Assim foi sexta-feira, 18 de maio. As ruas das cinco regiões de Campinas, Norte, Sul, Leste, Sudoeste, Noroeste, foram tomadas pelos cortejos e atividades para alertar para a data e para a importância de fortalecer leis e campanhas que protejam a infância. O CRAMI esteve presente em todas as ações.

No domingo, 20 de maio, o trabalho de conscientização se estendeu para a Lagoa do Taquaral. O objetivo era abordar as pessoas com a distribuição de folhetos sobre o 18 de maio para que pudessem provocar e sensibilizar os participantes para o dia de combate ao abuso sexual e à exploração sexual contra crianças e adolescentes. As ações foram uma iniciativa da Comissão de VDCCA (Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes), pertencente ao CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) que teve o apoio das Organizações da Sociedade Civil e dos serviços públicos.