Projeto Florescer 2 inicia atividades e vai ampliar escuta de mulheres em situação de violência.

Devido aos bons resultados da primeira edição do Florescer, o CRAMI iniciou a segunda edição do projeto em janeiro. Viabilizado pela Fundação FEAC, o projeto continuará com o desafio de ser um espaço de escuta para mulheres com o objetivo de atuarem como protagonistas de suas vidas e serem capazes de narrar suas histórias para outras mulheres, a fim de compartilhar saberes. A novidade dessa edição é a realização dos grupos em parceria com organizações da sociedade civil que também atuam na região noroeste.

 

A primeira atividade do projeto consistiu na seleção de algumas mulheres do Florescer 1, para serem consultoras e auxiliarem na construção dos temas e atividades que serão propostos nos grupos formados com outras mulheres. Segundo a psicóloga Fabiana Belintani, que conduzirá o projeto, as três participantes escolhidas aceitaram prontamente o convite e se mostraram animadas com os encontros que acontecerão, previstos para este mês de fevereiro. Logo na primeira conversa, elas já tinham uma lista de mulheres que podem se beneficiar com o Florescer 2.

Antes restrito às mulheres atendidas pelo CRAMI, a ideia é que os grupos aconteçam em organizações parceiras. Segundo Fabiana, os primeiros contatos já foram feitos com algumas instituições, que se interessaram bastante pelo projeto. O próximo passo é oficializar a parceria para iniciar as atividades.