Crami participa do Simpósio Educação Social: “Território de potencialidades”

Na sexta-feira, dia 25 de agosto, aconteceu o Simpósio Educação Social: “Território de potencialidades”, na UNIP – Swift. O evento foi uma realização da Secretaria Municipal de Assistência Social e Segurança Alimentar em conjunto com o coletivo de educadores e educadoras que atuam nos Serviço de Proteção Especial de Média Complexidade em Campinas.

A programação iniciou com a apresentação cultural do grupo de dança do Centro Comunitário do Jardim Santa Lúcia. Em seguida, compondo a mesa de diálogos, a diretora do departamento de operações da Assistência Social, Silvia Brito, deu inicio ao debate, agradecendo a participação e a oportunidade enriquecedora da realização do simpósio. A diretora também citou o educador social Alexandre Alves  e destacou o trabalho encantador do educador, através do projeto CRAMI Cultural, idealizado pelo Crami Campinas.

Dando sequência ao debate, Leonardo Lopes, educador social e pedagogo no CPTI,  apresentou a trajetória do coletivo de educadores/as, expondo o histórico do grupo de trabalho da Proteção Especial de média complexidade. O educador social do Crami, Paulo Silva, abordou “As atribuições do educador e educadora social dos serviços de Proteção Especial de média complexidade”, em que ressaltou a importância dos educadores na composição dos espaços nas instituições, além da atuação do educador para além da instituição e sua participação nas famílias.

Ainda na mesa de diálogos, Kelly Regina, educadora social da Afascom, refletiu as ações do educador social e suas contribuições na integração e participação individual e nas famílias. Estela Ferreira, psicóloga, e mediadora da mesa de diálogos, finalizou o debate corroborando com as opiniões anteriores e analisando os desafios e as plenas condições do educador social em falar seu papel para a sociedade rompendo assim a sua invisibilidade.

Durante a tarde ocorreram os trabalhos em grupos com os seguintes eixos temáticos: expressões culturais, trabalho de abordagem social com crianças e adolescentes, trabalho interdisciplinar em grupo e intersetorialidade, e, atendimento às famílias. Os educadores do Crami apresentaram a temática “Expressões Culturais”, em que participaram cerca de 35 pessoas. Os participantes tiveram a oportunidade de vivenciar através de dinâmicas os projetos que abordam de modo transversal a cultura e a arte.

O encerramento foi realizado pela mediadora Estela Ferreira que trouxe em sua fala uma perspectiva interessante e provocadora do olhar para o atendimento na Assistência Social, a importância do vínculo estabelecido e as estratégias de atendimento. Além disso, Estela finalizou abordando o contexto atual da política do SUAS no Brasil, refletindo sobre as questões especificas que foram abordadas no simpósio em relação ao Município de Campinas.