Dicas de como tratar a criança em cada fase de desenvolvimento

Muitos pais castigam os filhos por desconhecer suas limitações conforme sua faixa etária. Confira o que diz a publicação do Instituto Promundo “ Cuidar sem violência, todo mundo pode – Guia prático para Famílias e Comunidades” sobre essa questão:

“Uma das coisas mais importantes para evitar ou diminuir os conflitos dentro de casa é conhecer as fases do desenvolvimento de uma criança, bem como suas características, limitações e os cuidados necessários em cada uma delas. Muitas vezes, por desconhecer essas etapas, os adultos acabam esperando que a criança entenda ou faça alguma coisa que ainda não está preparada ou mesmo entendam que ela ainda não é capaz de algo que já é. Sem conhecer esses limites dados pelo desenvolvimento, os pais tendem a se irritar com o que a criança faz ou não consegue fazer. Procurar conhecer cada fase do desenvolvimento da criança, deixá-la assumir responsabilidades segundo sua capacidade e se colocar no lugar dela para entender o porquê de estar agindo ou pensando de uma determinada forma certamente evita conflitos.”. Veja o que esperar em cada fase e quais as dicas para lidar com cada momento.

CaracterísticasDicas
Nascimento até 2 anos• O bebê depende completamente e o tempo todo dos adultos.
• Uma das formas que ele tem de comunicar-se é o choro.
• Nessa fase, o contato físico é muito importante para o desenvolvimento do bebê. O colo dá segurança ao bebê.
• Ele ainda não consegue compartilhar seus brinquedos quando está brincando com outras crianças.
• Quando o bebê chora, tenha paciência e descubra porque ele está chorando. Veja se está com fome, sujo, se sente calor, frio ou dor. Às vezes ele chora só porque quer estar perto da mãe, do pai ou de outro cuidador.
• Não deixe o bebê aos cuidados de uma outra criança, mesmo que seja só por alguns instantes.
• De um a dois anos, o bebê não entende direito o que você fala, mas percebe claramente quando um adulto fala afetivamente com ele.
Dos 2 aos 3 anos• A criança começa a manifestar sua vontade e é extremamente curiosa.
• Nesta fase, a exploração dos diferentes espaços e dos objetos é necessária e importante para o desenvolvimento do conhecimento da criança. Entretanto, é preciso que um adulto esteja sempre junto dela para evitar acidentes.
• A criança precisa aprender o que pode e o que não pode fazer. Prepare-se para dizer “não” muitas vezes.
• Ela começa a aprender a controlar seu xixi e cocô e a pedir para ir ao banheiro e já pode começar o treinamento da higiene, abandonando as fraldas aos poucos.
• Entende várias coisas do que se pede a ela, mas pode se recusar a entender.
• Evite acidentes. Procure criar um ambiente seguro para as crianças brincarem. Tire do alcance qualquer objeto perigoso (medicamentos, produtos de limpeza, coisas que possam quebrar, ser engolidas, que cortem ou com pontas). Cubra as tomadas.
• Também é preciso impedir que as crianças fiquem sozinhas em locais como banheiro molhado, perto do fogão, perto de janelas ou na porta da rua.
• Se ele está na creche, procure conhecer bem o local e as crecheiras e esteja presente e interessado nas atividades da escolinha e do seu filho. Mantenha esses cuidados durante toda a vida escolar.
Dos 3 aos 5 anos• A criança é muito ativa; fala sozinha; inventa “amigos imaginários”; colabora com seus pais e professores e espera a aprovação deles.
• Nessa fase ela está testando os limites do que pode e não pode fazer.
• Costuma tocar seus genitais e fazer perguntas sobre como nascem os bebês.
• Explique sempre seus motivos quando disser não.
• Eduque seu filho através de brincadeiras. Brinque sempre com ele.
• Quando sair com ele, leve algo para distraí-lo, como um brinquedo.
• Responda as perguntas sobre sexo na medida em que surgem e de forma bem simples.
Dos 6 aos 11 anos• As crianças começam a se relacionar em sociedade e podem acontecer situações de conflito na família e na escola.
• Por outro lado, a criança já é capaz de escutar e entender as razões dos outros.
• Gostam de se relacionar com outras crianças por meio de conversas ou jogos e de explorar o mundo correndo e pulando. Cada vez mais ele consegue repartir os brinquedos.
• É uma fase de muitos acidentes, brigas com irmãos e também de muita bagunça.
• Já têm consciência sobre as atitudes que sociedade espera de um homem e de uma mulher.
• A influência do grupo de amigos começa a ficar mais forte.
• É o momento para os pais, mães e educadores apresentarem com clareza os valores e os limites de comportamento que acham importantes, envolvendo mais responsabilidades de acordo com a idade.
• É sempre bom explicar importância dos estudos e da rotina.
• Os pais são tomados como modelos de comportamento. As atitudes familiares dizem mais que as palavras.
• Assim como se devem impor limites e chamar a atenção para a importância de se respeitar os outros e as regras, também é necessário valorizar as crianças pelo bom comportamento e elogiá-las por suas conquistas.
• É importante que a criança participe das decisões familiares e que seus desejos e vontades sejam levados em consideração.
• Os pais devem estar de acordo sobre a educação do filho. Quanto mais velho, mais ele percebe as contradições entre os pais.