Oficina do CRAMI leva história, memória e cultura aos jovens

Na tarde da quarta-feira, dia 4 de abril, o CRAMI deu continuidade às atividades do projeto Movimento Cultural, e realizou a Oficina de Identidade Afro, na Casa de Cultura Fazenda Roseira, junto aos adolescentes assistidos pela instituição.

O passeio à Fazenda Roseira incluiu um almoço com todo o grupo reunido, o roteiro pela Casa de Cultura, além das oficinas de identidade e corpo, e construção coletiva de identidade e corpo. Houve, ainda, atividades de percussão com ritmos africanos, e a confecção de uma bandeira, em tecido, composta por desenhos dos participantes.

A Fazenda Roseira é um espaço que resgata e preserva tradições de cultura popular, especialmente a manifestação do jongo em Campinas. O ambiente possibilita aos jovens aprender conteúdos de história e cultura, e também pensar sobre identidade individual e coletiva.

Como destacou o educador social Alexandre Alves, confeccionar a bandeira coletivamente propiciou aos adolescentes uma oportunidade para expressarem elementos com os quais se identificam, “Os meninos puderam falar sobre si mesmos, e compartilhar com todos do grupo, dados da própria história. Isso foi importante na elaboração das próprias vivências, pois puderam refletir sobre a memória individual e a memória coletiva”.

A Oficina de Identidade Afro faz parte das ações do projeto Movimento Cultural, idealizado e implementado pelo CRAMI Campinas.  No projeto, as crianças e os adolescentes acolhidos pelo CRAMI Campinas podem participar de atividades multidisciplinares, de modo a se desenvolverem em diversos aspectos – emocionais, sociais, cognitivos e motores.

O CRAMI Campinas exerce um papel fundamental para a garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes da cidade de Campinas. Aqueles que quiserem colaborar com os projetos, podem acessar: www.cramicampinas.org.br/como-colaborar/.